1. Os inícios de Eire.


Irlanda significa "terra de Eire" (√Čriu em irland√™s antigo), a Deusa da Terra na cultura celta. A hist√≥ria da Irlanda sempre foi conturbada. De guerras e fomes passadas a recentes crises econ√īmicas. E se isso n√£o bastasse, seu territ√≥rio √©, desde a antiguidade, um local de conquista de popula√ß√Ķes externas, talvez pelo valor de seus recursos naturais, principalmente madeira, que infelizmente j√° s√£o escassos hoje, embora sua paisagem de prados e montanhas verdes ainda seja t√£o fotografado e visitado hoje, n√£o mais por conquistadores, mas por viajantes.

Os primeiros colonos da Irlanda, conhecidos como Ilha Esmeralda pela cor verde de suas paisagens, foram os povos celtas. Havia várias ondas de invasores celtas vindos de várias partes do centro e sul da Europa. Alguns historiadores irlandeses afirmam que uma dessas primeiras ondas veio do norte da Península Ibérica, especificamente da Galícia (Celtas Galaicos), uma região com a qual mantém traços da cultura celta e origens linguísticas. Ao mesmo tempo, os celtas da Irlanda colonizaram as terras da Grã-Bretanha e mais tarde se refugiaram nas áreas montanhosas da Escócia e do País de Gales após a chegada dos romanos. Em todos esses territórios, é falada uma língua chamada gaélico, com três variedades diferentes.

Durante o dom√≠nio do Imp√©rio Romano, a ilha foi chamada Hibernia, mas, diferentemente de outros pa√≠ses, na Irlanda o nome romano n√£o foi finalmente adotado, nem mesmo o latim. Talvez porque os romanos n√£o tivessem umc ontrole t√£o r√≠gido quanto em outros territ√≥rios e porque Hibernia √© uma terra remota e in√≥spita, com um clima adverso √†s caracter√≠sticas mediterr√Ęneas da sociedade romana. Mais tarde, os irlandeses tamb√©m receberam os visitantes normandos, que se estabeleceram em mais da metade do pa√≠s.

Mas na Irlanda a presen√ßa de S√£o Patr√≠cio teve uma grande relev√Ęncia, expandiu o cristianismo na ilha, criando os fundamentos de uma sociedade fortemente cat√≥lica. Assim, quando a Irlanda se tornou parte da Inglaterra, com maioria protestante, houve um cont√≠nuo confronto sobre diferen√ßas religiosas e com a parte protestante da Irlanda do Norte, onde os colonos ingleses haviam chegado. Finalmente, ap√≥s a Guerra da Independ√™ncia entre 1919 e 1921, a Irlanda foi formada como um Estado, enquanto o norte da ilha, o chamado Ulster, continuou a fazer parte do Reino Unido.

Cliffs of Moher - Ireland
Cliffs of Moher




2. Uma emancipação complicada.


Irlanda obtuvo su independencia en 1922. A√Īos antes, durante la d√©cada de 1840 el pa√≠s sufri√≥ una gran hambruna provocada por la crisis de la patata, que dej√≥ a mucha poblaci√≥n sin alimentos. Esta crisis provoc√≥ en Irlanda un antes y un despu√©s en la sociedad debido a que el pa√≠s se despoblaba y su emigraci√≥n eras tan grande que llegaba hasta los Estados Unidos de Am√©rica o Australia. Surgi√≥ entonces un fuerte sentimiento nacionalista irland√©s, dentro y fuera de sus fronteras, contrario a la uni√≥n con Gran Breta√Īa, aumentado en tiempos convulsos de la Primera Guerra Mundial y desembocando en la Guerra de la Independencia Irlandesa, un a√Īo despu√©s de la finalizaci√≥n de la anterior.

A Irlanda conquistou a independência em 1922. Anos antes, na década de 1840, o país sofreu uma grande fome causada pela crise da batata, que deixou muitas pessoas sem comida. Essa crise causou na Irlanda um antes e um depois na sociedade porque o país foi enormemente despovoado e a sua emigração foi tão grande que chegou aos Estados Unidos da América ou à Austrália. Um forte sentimento nacionalista irlandês emergiu, dentro e fora de suas fronteiras, contrariamente à união com a Grã-Bretanha, aumentou nos tempos turbulentos da Primeira Guerra Mundial e levou à Guerra da Independência Irlandesa, um ano após o final da anterior.

Esse novo contexto melhorou a economia irlandesa, embora as antigas empresas locais demorassem a se adaptar e muitas fossem forçadas a fechar devido à incapacidade de competir, e a emigração de profissionais qualificados na década de 1980, continuou a existir.

Além disso, a situação do Ulster seguía a ser frenêtica por conflitos políticos entre protestantes e católicos, com ataques terroristas na década de 1970 e uma greve de fome em 1981.

Naquela √©poca, surgiram importantes grupos de "m√ļsica folk rebelde" em Dublin, e outros mais comerciais, como o U2 ou o The Cramberries, que tamb√©m tinham m√ļsicas em que falavam de situa√ß√Ķes sociais, tamb√©m baseadas na m√ļsica tradicional irlandesa que teve tanto sucesso no exterior.

J√° nos anos 90, foi decidido coibir os gastos p√ļblicos, favorecer empresas com menos impostos e atrair empreendedorismo para irlandeses instru√≠dos. Assim, surgiram empresas nos setores farmac√™utico, qu√≠mico e tecnol√≥gico. Foram os anos do nascimento do Tigre Celta, que j√° estava come√ßando a ter uma marca importante no mundo.

Por outro lado, a tensão na Irlanda do Norte estava diminuindo, com períodos de paz, embora ainda exista hoje. Além disso, será necessário ver como a situação evolui após a saída do Reino Unido da União Europeia e como é administrada a fronteira entre as duas irlandas.


Kylemore Abbey




3. A presença internacional do Tigre Celta.


A Irlanda, a partir dos anos 2000, adotou uma estrat√©gia de marketing territorial exemplar, que colocou o pa√≠s no mapa. Ele aproveitou o melhor que tinha, al√©m de suas pr√≥prias caracter√≠sticas para atrair a curiosidade dos turistas e, assim, tornar este pequeno pa√≠s europeu conhecido em todo o mundo por sua paisagem e cultura celta, principalmente pela sua m√ļsica. Hoje existem muitos grupos musicais formados por jovens e muita cultura de grupo nos bares e nas ruas de Dublin. Hoje a Irlanda √© conhecida mundialmente pelo Dia de S√£o Patr√≠cio ... e sua cerveja. E √© uma festa que √© comemorada em todo o mundo.

Em 2009, o pa√≠s entrou em crise novamente e precisava de um resgate da Uni√£o Europeia. Pensava-se que passariam muitos anos at√© uma nova recupera√ß√£o econ√īmica, mas as suas pol√≠ticas fiscais foram bem-sucedidas e o emprego n√£o foi destru√≠do, ao contr√°rio de outras partes do sul do continente. Desde ent√£o, a Irlanda apresenta n√ļmeros econ√īmicos invej√°veis ​​e √© um dos pa√≠ses mais ricos da Europa.

Uma vantagem econ√īmica para a Irlanda √© o ingl√™s, que a mant√©m economicamente conectada aos Estados Unidos. Muitas empresas naquele pa√≠s, especialmente ligadas ao setor de novas tecnologias, t√™m sua sede europ√©ia na Irlanda, tamb√©m gra√ßas a seus benef√≠cios fiscais. Al√©m disso, a Irlanda associou seu potencial tur√≠stico ao aprendizado de ingl√™s. Enquanto muitos irlandeses migraram para outros pa√≠ses nas d√©cadas de 1980 e 1990 para ganhar a vida ensinando ingl√™s, agora, al√©m disso, os cursos oferecidos na Irlanda para estrangeiros fazem deste pa√≠s um destino para estudantes de toda a Europa.

A desvantagem disso √© a neglig√™ncia do pr√≥prio idioma da Irlanda, o ga√©lico irland√™s. Esta l√≠ngua foi falada em quase toda a Irlanda no in√≠cio do s√©culo XIX. No s√©culo XX, era falado apenas nas √°reas mais rurais da costa oeste da ilha, e hoje dificilmente √© falado em algumas √°reas montanhosas. Curiosamente, ap√≥s a independ√™ncia da Irlanda e como ela se abriu para a globaliza√ß√£o, o ingl√™s ocupou o centro do palco e o ga√©lico √© hoje um idioma amea√ßado que precisa de ajuda financeira para que n√£o se perca permanentemente. Atualmente, existem apenas algumas pequenas regi√Ķes em que o ga√©lico irland√™s √© maiorit√°rio e possui uma pol√≠tica de idiomas, essas s√£o as chamadas √°reas de Gaeltacht.

                                                                    √Āreas Gaeltacht


Mas nem todas s√£o vantagens na Irlanda. Apesar dos sal√°rios da popula√ß√£o serem altos, os servi√ßos de sa√ļde, os pre√ßos das casas e os alugu√©is s√£o caros e quase n√£o h√° gastos sociais por parte do governo. A Irlanda √© um dos pa√≠ses que dedica a menor porcentagem de seu PIB ao estado de bem-estar. O exemplo de tudo isso √© Dublin, uma cidade aparentemente simples onde n√£o existem grandes obras, nem mesmo uma cidade moderna √© vista como outros europeus, nem em seus edif√≠cios nem em seus meios de transporte. Parece uma cidade ancorada nos anos 90. E fora de Dublin, o sentimento √© o mesmo. O pa√≠s √© escassamente povoado, quase n√£o existem cidades centrais e a paisagem irlandesa se baseia principalmente nos prados e na cria√ß√£o de ovinos.

Al√©m do aprimoramento de sua paisagem, tamb√©m √© necess√°rio aprimorar o patrim√īnio cultural da Irlanda, como seus castelos ou hillforts. Mas a Irlanda tem um grande desafio para o futuro: modernizar seu setor agr√≠cola, como, por exemplo, na Holanda. De fato, a terra est√° dispon√≠vel aqui.



4. Uma vida alegre baixo o clima triste de Dublín.


Quase toda a popula√ß√£o da Irlanda est√° concentrada em Dublin, e n√£o √© uma cidade muito densa. Isso torna-o tranquilo e aconchegante, mas tamb√©m din√Ęmico, gra√ßas a estudantes de turismo e ingl√™s de todo o mundo que passam momentos nos seus albergues (hostels).

O clima influencia os costumes dos habitantes de Dublin. Pode-se chegar na primavera e encontrar o t√≠pico dia nublado com chuveiros, mesmo com um pouco de frio que o convida a passar o tempo nos seus bares. Apesar de tudo, o amor pela m√ļsica irlandesa n√£o nos impede de passear por suas ruas quando de repente encontramos uma jovem garota cantando como um anjo e tocando viol√£o. Mas sem dificilmente ter uma audi√™ncia, j√° que o tempo n√£o ajuda, cantando e tocando no meio da rua, mesmo que chova, √© t√£o comum que n√£o atrai muita aten√ß√£o para as pessoas, que n√£o param demais para ouvi-la. Apenas turistas curiosos.

E é que muitos grupos jovens começam na rua e depois são contratados para tocar nos vários bares da área de Temple Bar, o mais famoso e extraordinário de Dublin.

Os irlandeses d√£o-se bem com o clima nos pubs, que est√£o cheios a partir das 20h, quando √© noite e com muitos turistas e estudantes estrangeiros na √°rea de Temple Bar, independentemente do dia da semana e do ano. A cultura musical √© muito viva, os irlandeses levam o folk  no sangue ... um viol√£o, um violino, um acorde√£o ... duetos em todos os bares, em qualquer dia da semana, criando uma
atmosfera inigual√°vel.

√Č o √ļnico ponto quente numa cidade fria. Andando pelas ruas e observando seus edif√≠cios civis e religiosos, um imagina-se as grandes crises que o pa√≠s teve, a fome e as ondas de emigrantes. O fabuloso Museu da Emigra√ß√£o, localizado num moderno edif√≠cio nas margens do Lifley (o rio que atravessa a cidade de oeste a leste), merece uma visita.


Temple_Bar Dublin Ireland
The Temple Bar (Dublin) 



Conhecer a hist√≥ria da Irlanda √© emocionante, al√©m de conhecer os processos econ√īmicos recentes e atuais e tamb√©m sua geografia f√≠sica e humana. √Č um pa√≠s que sem d√ļvida nos surpreende e deixa  a sua marca em n√≥s. √Č pequeno, independente, isolado, mas com uma linguagem universal. Sem grandes cidades e com apar√™ncia humilde, mas com riqueza econ√īmica. Uma paisagem bonita, mas in√≥spita. Com uma atmosfera festiva, mas ao mesmo tempo melanc√≥lica. Um pa√≠s pr√≥spero e desenvolvido, mas com sensa√ß√Ķes de tempos dif√≠ceis no passado.


Clique na caixa no canto superior esquerdo do mapa para escolher as capas que deseja ver.